Sociedade | 23-09-2010 00:32

Funcionária da junta de Samora Correia acusada de alterar dados informáticos para receber mais ordenado

Uma funcionária da Junta de Freguesia de Samora Correia, concelho de Benavente, está a ser acusada pelo Ministério Público da prática de um crime de abuso de poder, punível com pena de prisão até três anos ou multa. A junta de freguesia local pede uma indemnização cível no valor de cinco mil euros por danos criados à imagem da instituição. O MIRANTE noticiou o caso em 2004 mas o julgamento da ex-chefe dos serviços administrativos da junta só teve início na última quinta-feira, 16 de Setembro.Entre Junho de 2003 e Abril de 2004, M.P. era a única funcionária responsável pelo processamento de abonos e vencimentos na junta de freguesia. De acordo com a acusação a arguida “manipulou os dados introduzidos no programa informático de processamento de salários”, aumentando o índice remuneratório e consequentemente o valor do seu salário em 100 euros, entre Novembro de 2003 e Março de 2004, assim como nos subsídios de férias e de Natal relativos a 2004. Segundo o Ministério Público, a arguida “agiu livre e conscientemente” sabendo que a “sua conduta era proibida e punida por lei”.Notícia desenvolvida na edição impressa em papel.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo