Sociedade | 24-09-2010 13:32

Águas do Tejo são objecto de reflexão da comunidade científica e populações ribeirinhas

A protecção do rio é o lema da “Festa da Água do Tejo”, marcada para este sábado, dia 25, em Vila Nova da Barquinha, promovida pelo proTejo, autarquia e Rede de Cidadania por Uma Nova Cultura da Água do Tejo/Tajo.A festa, que visa “juntar a comunidade científica e as populações ribeirinhas para uma reflexão conjunta” sobre a necessidade de protecção da água do Tejo, integrará jornadas de debate, concursos de fotografia, ateliês de pintura, poesia à beira rio e espectáculos musicais.Paulo Constantino, porta-voz do proTejo, disse à agência Lusa que o principal objectivo da iniciativa é “identificar os problemas” que afectam o Tejo e encontrar “soluções e medidas a tomar”.Entre os principais problemas que deverão ser abordados nas jornadas, estão “a sedimentação, poluição, requalificação e a exploração excessiva da água”, concretizou o responsável, que apontou para um relatório da União Europeia datado de 2009 que colocava o rio Tejo como “o sétimo rio europeu com maior índice” de exploração excessiva.“Apesar dos passos dados na consciencialização da população da bacia do Tejo, e mesmo nacional, para a reflexão sobre as questões da gestão da água e na sua participação no movimento de cidadania em defesa do rio, ficamos sempre com a sensação de que é necessário fazer mais e melhor”, observou.A iniciativa, a decorrer ao longo de todo o dia de sábado em Vila Nova da Barquinha, “pretende conjugar uma vertente científica e lúdica, envolvendo, simultaneamente, o desígnio de proteger o rio e preservar a água, a criação cultural das populações locais no domínio da fotografia, pintura, poesia e música e os contributos das soluções identificadas pela comunidade académica e científica”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo