Sociedade | 28-09-2010 13:11

Câmara de Rio Maior financia creches de Malaqueijo e Chainça

O executivo da Câmara de Rio Maior propôs à Segurança Social suportar, pelo menos até Dezembro deste ano, os encargos financeiros dessa instituição relativos ao funcionamento das novas creches de Malaqueijo e Chainça. Segundo a presidente do município, Isaura Morais (PSD), a Segurança Social “não tinha” orçamento para 2010 – para a comparticipação de 239 euros mensais por criança – o que “comprometia” a abertura das creches que vão entrar em funcionamento a 18 de Outubro. A informação foi dada pela autarca durante a sessão da assembleia municipal realizada sábado, 25 de Setembro, onde sublinhou que a proposta “não é formal porque não sabemos que valores vai implicar e a mesma tem que ser aprovada pela câmara municipal”.Como O MIRANTE noticiou (ver edição 22-07-2010) esta situação resulta da mudança que o anterior executivo operou nas candidaturas para financiamento da construção das duas creches. As candidaturas foram inicialmente submetidas ao Programa Pares tendo sido depois apresentadas ao Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN). Enquanto a candidatura ao Pares previa toda a programação financeira de apoio às creches e por criança, a candidatura ao QREN garante maior comparticipação no custo das obras mas colocou o processo com a Segurança Social na estaca zero. No terreno, os edifícios estão praticamente concluídos, faltando apenas dotá-los dos equipamentos.Isaura Morais referiu que o custo de não abrir as creches “já é muito superior do que qualquer custo que possamos ter ao apoiar a Misericórdia a suportar os pagamentos”, referiu. A autarca acrescentou ainda que esta posição da autarquia irá “pressionar” a Segurança Social a incluir a comparticipação para as duas creches no seu orçamento para 2011, para que daqui a um ano “não estejamos na mesma situação”.Cada uma das novas creches está apta para acolher 33 crianças, com idades entre os 4 meses e 3 anos de idade, distribuídas do seguinte modo: 8 crianças no berçário, 10 crianças na sala de 1 ano e 15 crianças na sala dos 2 anos. Prevê-se a criação de nove postos de trabalho em cada um dos equipamentos, entre educadoras de infância, assistentes de acção educativa, auxiliares e administrativos. A gestão das creches pertence à Santa Casa da Misericórdia de Rio Maior.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo