Sociedade | 29-09-2010 14:53

Junta da Meia Via pondera realizar referendo local para mudar de concelho

O presidente da Junta de Freguesia da Meia Via, o independente José Gil Serôdio, está a ponderar a realização de um referendo na sua freguesia para perguntar à população se quer continuar a pertencer ao concelho de Torres Novas ou se prefere integrar o concelho vizinho do Entroncamento. O autarca da Meia Via manifestou essa intenção durante a sessão da Assembleia Municipal de Torres Novas, realizada na noite de segunda-feira, onde acusou o presidente do município de descriminar a sua freguesia. António Rodrigues (PS) não reagiu às acusações em que era visado.“Para os meiavienses existem duas hipóteses. Continuar no concelho de Torres Novas, ou, pelo contrário, mudar para o concelho do Entroncamento. Estamos, neste momento a estudar ambas as hipóteses”. Se de um lado há “desinteresse, esbulho, retaliação e vingança; uma câmara desgovernada e um concelho em crise”, no Entroncamento foram referidas várias vantagens, desde uma população jovem ao apoio “da câmara às freguesias visando a sua instalação e valorização”. José Gil Serôdio leu um extenso discurso onde apontou a “política de distanciamento” a que a Câmara de Torres Novas tem votado a Meia Via. “Todos sabemos que o sr. presidente da câmara não admite derrotas. Encara os adversários políticos como inimigos e usa o seu poder para os vergar. Na Meia Via não nos vergamos. Na Meia Via já não acreditamos na câmara. Estamos revoltados.”O autarca enumerou diversos problemas que afectam a freguesia, acusando a Câmara de Torres Novas de “má vontade”. “A câmara sempre esteve invisível na Meia Via e nada faz para, como é seu dever, resolver os problemas que nos afligem. Ao contrário, a câmara e o seu presidente, que sempre foi contra a ideia de a Meia Via se constituir em freguesia, sempre que podem arranjam-nos mais e mais graves problemas”. José Gil Serôdio lembrou que o abastecimento de água é insuficiente, que o saneamento básico está em permanente ruptura e que existem esgotos a céu aberto. Comentou ainda os maus cheiros e seus efeitos que continuam a afligir a população, provenientes de uma empresa de compostagem instalada na freguesia.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1351
    16-05-2018
    Capa Médio Tejo