Sociedade | 05-07-2011 07:16

Miguel Cardia colocou o lugar à disposição quando soube que foi constituído arguido

O vereador com o pelouro do urbanismo na Câmara Municipal de Benavente, Miguel Cardia, colocou o lugar à disposição quando soube que tinha sido constituído arguido no âmbito de uma investigação em curso pelo Ministério Público por alegados crimes de corrupção e favorecimento pessoal no município. A intenção foi recusada por António José Ganhão, presidente da câmara, também constituído arguido com termo de identidade e residência. Na reunião de câmara de 4 de Julho o autarca foi questionado pelos vereadores da oposição sobre as buscas efectuadas na última semana pela Polícia Judiciária no edifício, onde António Ganhão se emocionou e relembrou que está inocente no processo. “Só espero ter o tempo de vida necessário, porque a justiça é morosa, não só para limpar o meu nome mas também para limpar o nome da câmara municipal desta sujeira. A indignação é maior que o peito, tenho dormido todos os dias com isto mas saberei ter força suficiente para aguentar e vir a responsabilizar quem causou todo este embaraço”, disse. António José Ganhão, recorde-se, está a lutar contra uma doença do foro oncológico. Noticia desenvolvida na próxima edição impressa de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo