Sociedade | 05-07-2011 07:11

Moradores de Setil reclamam obras na estrada que liga ao Cartaxo

Moradores de Setil reclamam obras na estrada que liga ao Cartaxo
Jorge Garcia utiliza diariamente a Estrada Nacional 114-2 que liga o Cartaxo ao Setil para apanhar o comboio naquela estação ferroviária e confessa que é raro o dia em que não fica mal disposto com os solavancos do autocarro na estrada cujo piso está em “péssimo” estado. Os seis quilómetros de via que ligam o Cartaxo ao pequeno lugar do Setil são um tormento. Crateras enormes em todos os lados da estrada tornam impossível uma condução segura. Mesmo circulando a 50 quilómetros por hora é impossível desviarmo-nos dos buracos uma vez que é difícil encontrar um pedaço de estrada em condições.Os moradores do Setil, concelho do Cartaxo, juntaram-se na tarde de sábado, 2 de Julho, junto ao edifício da antiga escola primária para dizerem de sua justiça e decidirem que posições tomar junto das entidades responsáveis. A primeira decisão que saiu do plenário foi que todos os moradores do Setil vão estar presentes na próxima reunião do executivo municipal que se realiza na próxima terça-feira, 12 de Julho. Depois disso ponderam pedir uma audiência junto da Comunidade Intermunicipal Lezíria do Tejo (CIMLT) e da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo (CCDRLVT).O descontentamento é a palavra de ordem entre os moradores do Setil e também de pessoas que não sendo desse lugar da freguesia de Vale da Pedra têm que utilizar a estrada diariamente. As pessoas dizem-se esquecidas pela autarquia que “faz promessas” e nunca cumpre o prometido. “A última vez que estivemos com o senhor vice-presidente na câmara ele disse-nos que o projecto estava concluído, estava tudo pronto e que era só acabar o tempo das chuvas e avançavam com a obra em Abril deste ano. Estamos em Julho e ainda nada foi feito”, reclama Maria Luísa Urbano.A munícipe recorda que a tampa da roda da carrinha do seu marido saltou por causa dos buracos. Outra moradora que diz ter que fazer este percurso quatro vezes por dia conta que já rebentou várias vezes os pneus do seu carro e o mecânico já a avisou que um dos pneus novos tem uma bolha e que pode rebentar novamente. “O mecânico perguntou-me se eu andava a passar por muitos buracos e não pude mentir. É verdade, não tenho como me desviar deles”, afirma.Este é um assunto que se arrasta há algum tempo. Em Setembro de 2009 ,durante a inauguração da reactivação do serviço ferroviário de passageiros entre Setil e Coruche, o presidente do município, Paulo Caldas, garantiu que as obras de repavimentação da estrada se iniciavam nessa semana. Até hoje os moradores e utilizadores da EN 114-2 aguardam por obras de melhoramento do pavimento. A questão foi levantada na última sessão da assembleia municipal, realizada no final de Junho, pelo deputado municipal Gonçalo Gaspar (PSD) que lembrou estarem a realizar-se obras na rua Batalhoz, no centro do Cartaxo, quando a câmara podia ter optado por asfaltar a EN 114-2 que está em “péssimas condições”. Na altura, o vice-presidente, Paulo Varanda (PS), disse que havia condições para avançar com a obra até “final de Agosto”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1352
    24-05-2018
    Capa Vale Tejo