Sociedade | 06-07-2011 15:08

Crise directiva mantém-se no União da Chamusca

Não houve fumo branco na assembleia extraordinária da União Desportiva de Chamusca realizada no dia 1 de Julho. Marcada para eleger novos corpos gerentes nada adiantou e até deixou perceber que as coisas estão ainda mais complicadas.Durante a semana que mediou entre as duas assembleias marcadas para este fim, o presidente da mesa, José Brás desenvolveu contactos e conseguiu levar três pessoas a aceitar incluir pelo menos uma comissão administrativa. O dirigente estava convencido que da anterior comissão havia duas ou três pessoas disponíveis para continuar, mas os planos saíram furados. As pessoas interessadas em continuar estiveram na reunião e disseram que ainda era cedo para avançar.Depois de muito instado a avançar para a constituição de uma comissão administrativa, o associado António Timóteo, que foi um dos principais dirigentes da anterior comissão, acabou por garantir que tinha uma lista de sete pessoas para integrar a comissão, mas fez depender essa apresentação do resultado de uma conversa a ter com outro ex-dirigente.Outro ex-dirigente Luís Paulo, responsável pela contabilidade do clube, também mostrou disponibilidade para continuar. Depois de uma acesa discussão, ficou assente que se iria aguardar mais alguns dias para se tentar chegar a um consenso. Ficou marcada para o dia 22 de Julho uma reunião da assembleia para resolver definitivamente o problema.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo