Sociedade | 20-07-2011 00:08

Cartágua “sensibilizada” para corrigir sistema de facturação da água

O presidente da Câmara do Cartaxo disse esta terça-feira que a administração da empresa que gere os sistemas de água e saneamento do concelho se mostrou “sensível” a proceder a correcções no sistema de facturação da água. Paulo Caldas (PS), que se reuniu na segunda-feira com a administração da Cartágua (concessionária dos sistemas de água e saneamento do concelho), declarou-se convencido de que a empresa irá proceder a correcções nos casos em que se prove que os consumidores têm razão e que irá melhorar o serviço prestado, nomeadamente no que concerne a uma maior proximidade e transparência na facturação.Paulo Caldas disse à Lusa que os aumentos foram sentidos sobretudo pelos consumidores não domésticos (cerca de 16 por cento do total), num acerto que obedeceu à aplicação da legislação e à cobrança das taxas de serviços, que, frisou, têm de estar claramente identificadas nas faturas.O autarca pediu à empresa para melhorar o serviço prestado, no sentido de evitar as leituras por estimativa, que obrigam a correcções depois da leitura real que representam valores elevados, e a facturação de períodos superiores a 30 dias.Paulo Caldas frisou que nos casos em que se registaram aumentos “abissais”, como o do consumidor que viu a factura subir dos 60 para mais de 500 euros, é necessário apurar se houve erro e dar uma explicação cabal. O autarca reiterou que, apesar destas situações, continua a considerar que o sistema adoptado pelo concelho (que saiu do projeto intermunicipal Águas do Ribatejo e optou pela concessão a privados) “é o melhor modelo”.Paulo Caldas afirmou que, independentemente do modelo, o aumento na factura da água iria inevitavelmente acontecer, no decorrer da aplicação da lei e na sequência do facto de durante sete anos não ter havido qualquer ajustamento no preço, nem mesmo aos valores da inflação.Além do tarifário, que segundo a empresa é inferior ao praticado em alguns concelhos vizinhos e equivalente ao de outros sistemas, o modelo adoptado está a permitir a realização de investimentos da ordem dos 13 milhões de euros, declarou.Segundo o responsável, na reunião foi pedido à empresa para acelerar os investimentos em curso, que, afirmou, estão a decorrer dentro do calendário acordado, de forma a concluir nos próximos três anos a construção das estações de tratamento, melhoria e extensão das redes de saneamento e de abastecimento de água.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo