Sociedade | 01-12-2011 00:36

Carrinha-quiosque tem mais 30 dias para sair da zona envolvente ao Convento de Cristo em Tomar

A Câmara Municipal de Tomar aumentou para 60 dias o prazo dado à proprietária da carrinha-quiosque de venda de bebidas e artigos alimentares para abandonar a zona envolvente ao Convento de Cristo, onde tem estado a funcionar há muitos anos. A revelação foi feita pelo vice-presidente da Câmara de Tomar, Carlos Carrão (PSD), na última reunião do executivo. A medida, “a título excepcional”, foi justificada pelo facto de a dona da carrinha não ter ainda encontrado um outro local para a colocar, disse Carrão.Recorde-se que a meio de Novembro, o presidente da Câmara de Tomar, Corvêlo de Sousa (PSD), decidiu notificar a dona da carrinha para retirar o veículo do local no prazo de 30 dias. Uma situação que levou um dos vereadores do PS, Luís Ferreira, a dizer que “em Tomar já não se vive em democracia”, acusando o presidente da autarquia de exercer o poder de “forma totalmente autocrática e sem qualquer sensibilidade social”. Uma situação que causou profundo mal-estar entre os dois partidos, então ainda coligados na gestão do município.Luís Ferreira disse na altura que se tratou de um “total desprezo pela vida das pessoas” que exploravam esse negócio. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo