Sociedade | 05-12-2011 13:17

Homem perde a vida em Alhandra depois da casa pegar fogo

O homem que na noite de domingo, 4 de Dezembro, perdeu a vida na sequência de um incêndio na sua casa no Beco do Norte em Alhandra, concelho de Vila Franca de Xira, foi surpreendido pelas chamas enquanto dormia. Ângelo Santiago, 61 anos, natural de Alhandra, era uma figura conhecida na vila e, segundo as autoridades, terá adormecido de cigarro na mão, o que viria a causar o incêndio. A vítima acordou quando as chamas já devoravam o quarto onde se encontrava e uma das mangas da camisola que vestia. Em apuros o homem tentou apagar o incêndio mas sem sucesso, tendo procurado refúgio no primeiro andar da habitação. Ângelo Santiago não viria a resistir às queimaduras num braço e à inalação de fumo, tendo morrido no local. Passavam poucos minutos das 20h00 quando um grupo de populares que passava na rua sentiu um forte cheiro a queimado. No beco onde se encontra a casa o calor começou a tornar-se mais perceptível e os populares decidiram chamar os Bombeiros Voluntários de Alhandra por precaução. Quando estes chegaram ao local arrombaram a porta da habitação e deram de caras com o fogo, que foi dominado em 10 minutos por 12 homens e cinco viaturas. O incêndio ficou restrito ao quarto da habitação. “Dentro da casa o nosso maior problema foi encontrar muitos sacos cheios de lixo, móveis velhos, botijas de gás e até latas de gasolina usadas nos barcos”, lamenta fonte dos bombeiros a O MIRANTE. Ângelo Santiago não tinha luz nem água e usava barba até à barriga, fazendo vida de mendigo, apesar dos amigos garantirem que tinha posses e até um apartamento na freguesia. “A imundice era tal que se chegassemos mais tarde e o fogo alastrasse aos sacos do lixo, que quase se empilhavam até ao tecto, teríamos tido ali um incêndio difícil de combater”, admitem os bombeiros. No local esteve também a Polícia de Segurança Pública e a Polícia Judiciária.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo