Sociedade | 06-12-2011 10:49

Acentua-se colapso dos Bombeiros Voluntários do Entroncamento

Os Bombeiros Voluntários do Entroncamento estão em colapso. Para segunda-feira à noite estava marcada uma Assembleia pedida por uma centena de associados, de acordo com os estatutos, cujo único ponto da ordem de trabalhos era a discussão e votação de uma proposta de destituição dos Corpos Gerentes. Era uma oportunidade de regresso a alguma normalidade uma vez que os 31 bombeiros voluntários que pediram a passagem ao quadro de reserva tinham prometido regressar ao serviço se a demissão do presidente da direcção se concretizasse mas a assembleia não se realizou por falta de quórum. Uma hora e dez minutos após a hora de início o presidente daquele órgão anunciou que não estavam presentes 75 por cento dos requerentes, número mínimo para a mesma funcionar.Após o anúncio do presidente da Assembleia, Mário Olímpio Ferreira, os bombeiros demissionários ocuparam o palco montado na sala anexa ao Pavilhão Municipal e usaram a instalação sonora para anunciar que não voltavam ao serviço enquanto Luís Graça continuar como presidente da Direcção da Associação Humanitária.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo