Sociedade | 07-12-2011 12:51

Levou ossos da avó para casa e engendrou um esquema para obter indemnização da Junta de Alverca

Um homem inventou um esquema que passou por esconder os ossos da avó que estavam no cemitério de Alverca e subornar o coveiro, para obter uma indemnização da junta de freguesia. O autor da façanha levou em Agosto as ossadas da avó para casa e pagou ao coveiro para ir à vala comum do cemitério retirar os ossos de outras pessoas para colocar no ossário que ficou vazio. Desta forma, o homem pretendia através de um teste de ADN fazer crer que os serviços do cemitério tinham cometido um erro. O homem queria uma indemnização de 20 mil euros, mas o plano correu mal porque o coveiro acabou por confessar a artimanha. Quando soube que o plano estava a dar para o torto, o homem resolveu levar novamente as ossadas da avó para o cemitério da Alverca no dia 26 de Novembro, mas desta vez os responsáveis chamaram a PSP e este foi detido. Sabe-se que o homem pagou 100 euros a um dos quatro coveiros que trabalham no cemitério de Alverca que lhe entregou os ossos em Agosto, já depois de as portas estarem encerradas ao público. Três meses depois, em Novembro, o neto da falecida foi à junta com a sua advogada para exigir a indemnização, assegurando que os ossos da sua avó estavam perdidos e ia mandar realizar um teste de ADN para provar que o tinham enganado. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo