Sociedade | 08-12-2011 00:37

Ministério da Saúde reafirma impossibilidade de reabrir extensões de Muge e Granho

O Ministério da Saúde reafirmou a impossibilidade de reabrir as extensões de saúde de Granho e Muge, no concelho de Salvaterra de Magos, devido à escassez de recursos humanos, sublinhando que tem dialogado com as autarquias no sentido de ser encontrada uma solução para o transporte dos utentes.Em resposta a uma pergunta do deputado comunista António Filipe, o Ministério da Saúde reafirma que as extensões foram encerradas em Outubro de 2010 devido à saída do médico contratado que se deslocava seis horas por semana a cada uma das localidades, frisando que no concelho de Salvaterra de Magos 50 por cento dos utentes não têm médico de família, “em consequência de aposentações e saídas de médicos para unidades de saúde familiares”.O Ministério considera que o maior problema reside na falta de transportes públicos que permitam a deslocação das populações de Granho e Muge até à extensão de Glória do Ribatejo, que se situa a cerca de 10 quilómetros daquelas localidades e onde foram colocados recentemente dois médicos para atenderem os cerca de 5.000 utentes das três freguesias.“Este processo tem sido dialogado com as autarquias locais que, entre si, estão a estudar hipóteses de colaborarem na deslocação dos utentes”, afirma o Ministério da Saúde, sublinhando que a reorganização em curso no ACES Lezíria “poderá ser sempre reequacionada, à medida que houver mais recursos humanos, financeiros e logísticos”.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo