Sociedade | 10-12-2011 00:07

Comissão de utentes teme encerramento do centro de saúde de Santo Estêvão no final do mês

A Comissão de Utentes do Concelho de Benavente (CUCB) disse esta sexta-feira, dia 9, que as escalas de serviço de Janeiro “já não contemplam o pessoal de enfermagem” que presta serviço na extensão de saúde da freguesia de Santo Estêvão.Os enfermeiros servem a população três dias por semana e esta situação é, segundo a comissão de utentes, “um mau indicador”, que pode significar o encerramento, a partir do final deste mês, da unidade de saúde.O alerta foi feito pelo coordenador da CUCB, à Agência Lusa, no final de uma reunião da Comissão, onde também ficou decidido inaugurar sábado, dia 17 de Dezembro, em Benavente, um monumento de protesto e de defesa dos direitos da população.Domingos David afirmou ainda que “a Câmara de Benavente e a Junta de Freguesia de Santo Estêvão" estão a “efectuar diligências” no sentido de se inteirarem da real situação e do que pensa fazer a tutela em relação à extensão de saúde da freguesia. Outra das medidas decididas na reunião desta noite foi a inauguração de um monumento em protesto contra as medidas previstas pela Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) e de defesa dos direitos da população do concelho de Benavente.“Sábado, dia 17 de Dezembro, pelas 11h00, vamos erigir uma armação, tipo pirâmide, em frente ao Parque 25 de Abril, onde irão constar as nossas reclamações”, explicou Domingos David.O coordenador avançou ainda que na próxima quarta-feira, dia 14, pelas 21h00, irá decorrer uma reunião, em Almeirim, com todas as comissões de utentes abrangidas pelo Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Lezíria.“Vai estar a comissão de utentes de Vale Cavalos, de Alpiarça, de Almeirim, de Muge e Granho, de Foros de Salvaterra, de Couço e Benavente para se analisar a situação das extensões de saúde, algumas na contingência de fechar, a falta de recursos e de médicos”, esclareceu Domingos David.A CUCB está também preocupada com a “indefinição da situação das urgências de Benavente no período diurno dos dias úteis a partir de 1 de Janeiro”, salientando que “o actual contrato com a empresa de trabalhos temporários caduca no final deste mês”.Outro dos receios prende-se com “o possível encerramento definitivo” da Extensão de Saúde do Porto Alto, que serve “mais de 2.700 utentes sem médico de família, 21 horas semanais”, para consultas de recurso.“Se as orientações políticas não forem alteradas e todas estas más notícias ocorrerem, entraremos em 2012 com mais de 11 mil utentes sem médico de família, só no concelho de Benavente, aos quais se juntam cerca de 15 mil do concelho vizinho de Salvaterra de Magos”, alerta a CUCB.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo