Sociedade | 11-12-2011 00:45

Extensões de saúde de Ourém mantêm-se mas com dificuldades de pessoal

Em resposta a uma pergunta do deputado da Assembleia da República António Filipe (PCP) sobre o encerramento das extensões de saúde de Ourém, o gabinete da secretária de Estado dos Assuntos Parlamentares e da Igualdade refere que se têm procurado manter os serviços, embora com grandes dificuldades em termos de recursos humanos. No documento de resposta pode ler-se que “tem-se procurado manter a oferta assistencial dentro de parâmetros de qualidade e proximidade, porém este objectivo não é de fácil execução dada a acentuada diminuição de recursos humanos”.Segue referindo que a direcção executiva do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) Serra d’Aire “não determinou o encerramento das Extensões de Saúde referidas, porém, face à actual gravíssima carência de recursos humanos, não será possível mantê-las todas abertas, com a mesma frequência e horário”. A Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo está a acompanhar o assunto. No princípio de Outubro as populações de Matas e Espite, freguesias de Ourém, manifestaram-se contra o encerramento das suas extensões de saúde. Os protestos acabaram por surtir efeito, com os presidentes de junta daquelas duas freguesias a anunciaram uma resposta positiva, por parte do director executivo do ACES Serra d’Aire, às propostas apresentadas. Os postos médicos permaneceram abertos, embora com os períodos de atendimento reduzidos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo