Sociedade | 06-05-2012 10:34

Pena de prisão suspensa para agricultor que criava animais sem condições

O agricultor que estava acusado de criar durante pelo menos três anos ilegalmente suínos e caprinos numa exploração nos Arados, no Porto Alto, concelho de Benavente, que se destinavam ao consumo humano sem as mínimas condições de higiene foi condenado na segunda-feira, 30 de Abril, a uma pena de prisão de um ano e oito meses, suspensa na sua execução pelo mesmo período. O colectivo de juízes do Tribunal Judicial de Benavente deu como provado que António Toureiro, de 52 anos, destinava os animais que criava para o consumo humano, colocando em perigo de vida qualquer pessoa que contactasse directa ou indirectamente com a exploração. O tribunal deu como provado que à data da inspecção realizada pela Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) no dia 9 de Março de 2009 o agricultor era responsável por uma exploração de suínos que não estava licenciada pelas autoridades competentes; os suínos não estavam registados; no parque estavam a coabitar 12 cabras com os referidos suínos, embora separadamente; existiam vários animais mortos, semi-enterrados, que estavam a ser comidos pelos animais vivos; a barraca que servia para abrigar os animais não tinha dimensões adequadas e estava alagada com dejectos e água; os animais bebiam água de uma furo não existindo qualquer análise da mesma; o solo e os animais não eram limpos com a devida regularidade. Também se provou que na vedação que extrema com um dos vizinhos o arguido pendurou pelo menos dois cadáveres de cabras mortas.* Notícia desenvolvida na próxima edição impressa de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo