Sociedade | 25-05-2012 07:36

Paulo Caldas recupera a arma que lhe tinha sido apreendida

Paulo Caldas recupera a arma que lhe tinha sido apreendida
O ex-presidente da Câmara do Cartaxo, Paulo Caldas, conseguiu ficar com a pistola que tinha sido apreendida há dois anos durante buscas da Polícia Judiciária à sua habitação. Caldas que sempre disse que a arma tinha valor sentimental por ter sido oferecida pelo avô da mulher, recorreu da decisão da primeira instância que determinou que a pistola da marca Star, calibre 6.35 milímetros, fosse considerada perdida a favor do Estado. Agora o Tribunal da Relação de Évora veio dar-lhe razão e mandou entregar-lhe a pistola. O ex-autarca na altura das buscas, no âmbito de um processo que ainda decorre sobre a construção de instalações da Casa das Peles em violação do plano director municipal, não tinha em sua posse o documento comprovativo do registo da arma. Esta tinha sido registada há muitos anos e não fazia parte do SIGAE. Paulo Caldas entretanto já regularizou a situação.Recorde-se que Paulo Caldas foi julgado por detenção de arma proibida no dia 27 de Maio de 2010, nove dias depois das buscas. O Tribunal do Cartaxo condenou-o ao pagamento de uma multa de 2.750 euros, que este tem agora que liquidar até esta quinta-feira, 31 de Maio. A arma, de 1968, foi na altura entregue à PSP e o ex-autarca só está à espera que a polícia seja notificada da decisão para ir buscar a pistola.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo