Sociedade | 26-05-2012

Veríssimo Serrão emocionado na abertura do centro de investigação com o seu nome

Foi com muita emoção que o historiador Joaquim Veríssimo Serrão assistiu à abertura oficial do Centro de Investigação com o seu nome e que teve como alicerce o espólio literário e pessoal doado pelo académico escalabitano à Câmara Municipal de Santarém.A cerimónia solene decorreu na manhã de sábado, 26 de Maio, no Convento de São Francisco, perante muitas dezenas de convidados. Seguiu-se o descerramento da placa na Casa de Portugal e de Camões, onde vai funcionar aquela valência dedicada à investigação nas áreas das ciências sociais e humanas.O director do Centro de Investigação Prof. Dr. Joaquim Veríssimo Serrão afirmou que se cumpriu um sonho do historiador, que vai permitir um labor criativo feito com entusiasmo e lucidez. A partir de 25 de Setembro, haverá sessões quinzenais às terças-feiras onde membros do centro apresentarão comunicações sobre diversas temáticas, informou o historiador Marinho Vicente Rodrigues.Joaquim Veríssimo Serrão, actualmente com 86 anos, decidiu doar à autarquia a sua biblioteca pessoal, com cerca de 30 mil livros, 90 caixas com documentos manuscritos e objectos que possui na biblioteca de sua casa, em Santarém. “A minha missão está cumprida, deixo este espólio em sinal de gratidão a Santarém”, afirmou o historiador emocionado, agradecendo a todos os que proporcionaram a concretização da sua vontade.Adriana Veríssimo Serrão, filha do historiador, falou em nome da família, referindo que “ao doar a sua biblioteca, Joaquim Veríssimo Serrão entrega a sua alma e o seu mundo à humanidade”, acrescentando que “o que um dia foi trabalho, sofrimento, surge hoje depurado” e apto a constituir “ponto de passagem para novas obras”.“Em nome da família de Joaquim Veríssimo Serrão cumpre-me prestar reconhecimento pelo conjunto de todos os esforços individuais que permitiram concretizar o sonho de manter vivo o afecto à terra que lhe serviu de berço”, disse a filha do historiador, fazendo votos que os utilizadores daquele espólio “pousem com cuidado e com carinho as mãos nos livros” doados.O presidente da Câmara de Santarém interrompeu as férias para se juntar à cerimónia e deixar palavras de agradecimento a Veríssimo Serrão. “Há homens com a dimensão de vossa excelência a quem o problema da morte nunca se coloca, porque nos entregou um pedaço enorme da sua imortalidade e da nossa própria imortalidade, Bem haja pela sua dádiva”, afirmou Francisco Moita Flores no final do seu discurso.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1359
    11-07-2018
    Capa Médio Tejo