Sociedade | 29-05-2012 07:35

Câmara envia "veemente protesto" à Anacom pelas falhas na TDT

A Câmara do Sardoal vai manifestar junto da Autoridade Nacional das Comunicações (Anacom) o seu “veemente protesto” pelas “inúmeras situações anómalas” verificadas em todo o concelho desde a passagem para a Televisão Digital Terrestre (TDT).Numa tomada de posição aprovada por unanimidade na última reunião camarária, o município alega que “são inúmeras as queixas e reclamações que se têm avolumado, oriundas de munícipes indignados pela situação e pelos prejuízos causados, tanto mais que muitos deles, em tempo oportuno, adquiriram televisores com tecnologia compatível para o efeito ou aparelhos TDT descodificadores”.Segundo a autarquia, “existem localidades inteiras pertencentes às freguesias de Sardoal, Alcaravela, Valhascos e Santiago de Montalegre onde o sinal de televisão praticamente não existe” e em outras localidades “o acesso ao sinal é insuficiente e irregular, funcionando em alguns casos entre duas a quatro horas diárias, por vezes com interferências e com más condições de som e imagem.”O município exige que os operadores tomem medidas com urgência, de forma a repor a normalidade, e considera que a situação é injusta e incompatível com a lei.Os eleitos lembram que o concelho de Sardoal é composto, “em razoável percentagem, por pessoas idosas e de fracos recursos financeiros”, sublinhando que algumas dessas pessoas idosas vivem em locais isolados, “com dificuldades de mobilidade e de convívio social, sendo a televisão a sua única companhia” e forma de contacto com o exterior.A tomada de posição da autarquia sardoalense segue-se a outras de municípios e freguesias do Médio Tejo, situação que motivou a entrega de um requerimento na Assembleia da República por parte dos deputados socialistas eleitos pelo distrito de Santarém.Idália Serrão, António Serrano e João Galamba questionaram o ministro-Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, Miguel Relvas, sobre as causas de ausência de sinal, desde 12 de Maio, em várias localidades do Médio Tejo, e os motivos para que o problema não tenha ainda sido solucionado.Pedem ainda para ser informados das diligências tomadas para a resolução do problema e sobre as garantias de regularidade no fornecimento do sinal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo