Sociedade | 10-01-2013 00:04

O misterioso desaparecimento do empresário de Samora Correia que agora foi dado como morto

O desaparecimento do empresário de automóveis de Samora Correia, João Lopes, continua envolto em mistério 18 anos depois. Recentemente foi dado como morto por decisão judicial apesar de o corpo nunca ter aparecido. Maria João Lopes, 42 anos, filha do empresário que deixou um prédio inacabado na cidade já não tem dúvidas que o pai está morto e a decisão judicial vem pôr fim a uma angústia. A mãe de João, Maria Albertina, 82 anos, ainda tem esperança que o filho um dia lhe apareça à porta, apesar de ao longo destes 18 anos nunca ter havido qualquer pista que apontasse que estivesse vivo até porque não houve qualquer contacto com familiares ou amigos. Foi no dia 3 de Novembro de 1994 depois de ir tomar o pequeno-almoço em Porto Alto que João Lopes, na altura com 44 anos, e dono de dois stands de automóveis em Samora Correia, desapareceu sem deixar rasto. O caso acabaria por ser arquivado nove meses depois. Em 2001 o Ministério Público reabriu o caso que culminou agora com a morte presumida do empresário, estando já a decorrer o processo judicial de partilha dos bens pelos herdeiros. "Não era o desfecho que eu queria. Não posso dizer que me sinto aliviada. Preferia que ele estivesse preso nalgum sítio. Infelizmente não me restam dúvidas que ele morreu", revela Maria João Lopes, sem conseguir conter as lágrimas. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo