Sociedade | 12-01-2013 01:57

Salvaterra de Magos é o pior concelho do distrito de Santarém

O Partido Socialista de Salvaterra de Magos lamenta que o concelho surja num "vergonhoso" 262.º lugar entre os 308 municípios portugueses num estudo da Universidade da Beira Interior sobre qualidade de vida e desenvolvimento económico e social.Em comunicado, o vereador socialista Hélder Esménio atribui a classificação do concelho como o pior do distrito de Santarém e um dos 50 piores do país à governação da maioria do Bloco de Esquerda, frisando que desde meados do actual mandato autárquico a descida foi de 150 posições (era 105.º em 2004).A classificação do concelho causa "muita apreensão e demonstra quão justas são muitas das críticas" feitas pelos socialistas "ao modelo, ao ritmo e aos resultados de uma governação" que coloca o concelho "cada vez mais distante" dos municípios vizinhos."Almeirim (177.º lugar) está quase 100 lugares à nossa frente, Benavente (148.º) está a meio da tabela, melhor que nós 120 lugares, Cartaxo (109.º) e Azambuja (103.º) estão mais de 150 lugares na nossa dianteira, enquanto Santarém (77.º) e Coruche (72.º) estão no top 80, quase 200 lugares melhores que nós", refere o vereador em comunicado.O vice-presidente da Câmara Municipal de Salvaterra de Magos, Luís Gomes, considerou a análise dos socialistas "pura demagogia" e uma "tentativa de aproveitamento político", tendo em conta a proximidade das eleições autárquicas.Para o também coordenador concelhio do BE, o estudo da Universidade da Beira Interior (UBI) recorre a indicadores que "prejudicam os concelhos de pequena e média dimensão", por serem "muito citadinos" e vocacionado para "grandes cidades ou capitais de distrito".Por outro lado, Luís Gomes acrescentou a existência de critérios que "têm a ver com infraestruturas, equipamentos e bens que dependem do Poder Central", como é o caso da saúde e do ensino.O estudo da UBI partiu de 48 variáveis, que vão dos equipamentos culturais, espaços educativos, gestão de resíduos, protecção ambiental, da biodiversidade e da paisagem, investimento em desporto e na educação, segurança, saúde, turismo, dinamismo económico, densidade e volume de negócios das empresas, mercado de trabalho, desemprego, ganho médio mensal dos trabalhadores por conta de outrem, índice do poder de compra por pessoa, entre outros.Para Hélder Esménio, a responsabilidade da posição ocupada actualmente por Salvaterra de Magos deve ser imputada a quem tem liderado o município, lembrando que o investimento da Câmara em obras caiu de 4,5 milhões de euros em 2009 para 1,5 milhões em 2010 e que não têm sido criados incentivos à fixação de empresas.Luís Gomes contrapôs a orientação do executivo bloquista "para as questões sociais" e o facto de o município ser "uma referência em termos de equilíbrio financeiro e no cumprimento dos prazos de pagamento".

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo