Sociedade | 14-01-2013 00:20

Motorista que sofreu acidente de trabalho vive com 290 euros e já perdeu carro e casa

Motorista que sofreu acidente de trabalho vive com 290 euros e já perdeu carro e casa
Um motorista de 41 anos, que ao saltar do frigorífico do camião ficou com graves lesões num joelho, vive com 290 euros de baixa médica há dois anos e por isso já perdeu a casa e teve que vender o carro. O início do julgamento do caso de acidente de trabalho de Artur Martins, residente em Foros de Salvaterra, concelho de Salvaterra de Magos, que ficou impossibilitado de exercer a sua profissão de motorista, estava marcado para a manhã de sexta-feira, 11 de Janeiro, no Tribunal de Trabalho de Vila Franca de Xira, mas as partes decidiram tentar chegar a um acordo. Se o mesmo não acontecer o julgamento realizar-se-á a 4 de Março por indicação da juíza Sónia Kietzmann Lopes que quer que o assunto fique resolvido rapidamente.Artur Martins, que é há seis anos funcionário da empresa Tja (Transportes J. Amaral), auferia, quando estava no activo, cerca de 1500 euros por mês. Grande parte desse montante mensal, argumenta, era recebido como ajudas de custo, o que o prejudica agora que está de baixa médica. Artur Martins alega ainda que a empresa não indicou à Companhia de Seguros Tranquilidade o valor correcto do seu vencimento na altura do acidente. Esses valores em dívida serão reclamados. Artur Martins espera receber ainda uma pensão (capital de remissão), segundo adiantou o seu advogado, Joaquim Cachulo. Artur Martins, motorista há 20 anos, é casado e tem dois filhos de 11 e 16 anos. A mulher está actualmente desempregada. A família vive dos 290 euros de baixa de Artur Martins que conta apenas com a ajuda o pai, um metalúrgico reformado também por invalidez, e de uma outra amiga da família. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo