Sociedade | 19-01-2013 03:52

Metade das famílias que recorrem ao Centro de Apoio à Família de Tomar são "novos pobres"

Inaugurado em Abril de 2011, o Centro de Apoio à Família (CAF) que centraliza num único espaço todas as instituições que colaboram, apoia 440 núcleos familiares de todo o concelho. De acordo com a vereadora da Acção Social da Câmara de Tomar, Rosário Simões (PSD), metade destes processos são "casos novos" que resultam da degradação da conjuntura social e económica do país. "Ajudamos pessoas que ficaram desempregadas, que deixaram de receber subsídio de desemprego por limite de tempo, que regressaram às origens para junto de familiares, pessoas que saíram de um divórcio e até vítimas de violência doméstica", exemplifica, acrescentando que há que diferenciar os casos de pobreza de longa duração, ou seja, os que estão sinalizados há anos, dos que emergem nos últimos tempos. "O objectivo final é que a família se reestruture e saia da situação de carência", salienta, acrescentando que os 22 técnicos de acção social que ali trabalham acompanham a evolução de cada um dos agregados apoiados. Nas instalações do CAF, localizadas numa cave discreta junto ao Café da Nabância, em frente ao Centro de Saúde, encontramos dois voluntários a arrumar roupa, brinquedos e comida, oferecida por quem hoje está bem mas amanhã pode não estar. * Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo