Sociedade | 22-01-2013 01:25

Diamantino Silvério morreu num dia de temporal mas não foi por causa do vento

Diamantino Silvério, o homem de 85 anos que figurou nas estatísticas nacionais como a única vítima mortal associada ao mau tempo do passado fim-de-semana afinal morreu na sequência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC). A informação foi assegurada a O MIRANTE pela neta, Lília Santos, na manhã de segunda-feira, 21 de Janeiro, na pequena aldeia de Carreira do Mato, na freguesia de Aldeia do Mato, Abrantes. O funeral realizou-se na véspera, tarde de domingo."Realmente houve esse temporal, estava aqui muito vento mas, na realidade, foi um AVC que lhe deu. O meu avô já se tinha sentido mal, deve-se ter segurado ao portão e caiu. Ficámos muito admirados com esta situação", testemunhou a poucos metros do portão onde o avô pereceu.A notícia, avançada pela agência LUSA, e replicada por todos os jornais e canais de televisão, só não foi desmentida de imediato porque, sem electricidade e telecomunicações, a família de Diamantino Silvério, tal como os habitantes desta pequena aldeia localizada junto à Barragem de Castelo de Bode, desconheciam que o país falava de Carreira do Mato pelas mais nefastas razões. A primeira notícia dava conta que o idoso teria sofrido um impacto de um portão projectado pelo vento, que lhe causou a morte por traumatismo craniano, no número 1293, da Rua da Casinha.* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo