Sociedade | 24-01-2013 13:47

Câmara de Almeirim rejeita acusação de corte indiscriminado de árvores na EN 114

A Câmara de Almeirim rejeitou esta quinta-feira, 24 de Janeiro, estar a abater de forma indiscriminada árvores na Estrada Nacional (EN) 114 - num troço de um quilómetro entre Santarém e Almeirim, uma situação denunciada por uma associação local.O vice presidente da Câmara Municipal de Almeirim, Pedro Ribeiro (PS), disse à agência Lusa que o processo de "abate de árvores apodrecidas", que representavam perigo para a normal circulação rodoviária, "foi suspenso devido a um pedido de reavaliação", tendo assegurado que nos últimos dias a autarquia não abateu árvore alguma."Nós só cortámos algumas árvores que caíram devido ao mau tempo dos últimos dias e foi no sentido da protecção ou desobstrução de via, uma vez que havia o risco de provocarem acidentes", afirmou autarca, também responsável pela protecção civil municipal.Em comunicado enviado à agência Lusa, a Associação de Defesa do Património Histórico e Cultural do Concelho de Santarém alertou para o corte "massivo e indiscriminado" de árvores na estrada entre Almeirim e a Tapada, um troço de cerca de três quilómetros na EN 114, tendo feito realçar o "pedido imediato de suspensão de abate" de árvores."O valor ambiental e natural das árvores no ecossistema da Lezíria e o valor estético e paisagístico das árvores na estrada devem ser salvaguardados sem prejuízo da necessidade de manutenção e de adequadas condições de segurança rodoviária na referida estrada", defende ainda a Associação, em comunicado assinado pelo seu presidente, José Pina Serrano.Pedro Ribeiro, por sua vez, disse à Lusa que o troço em questão é de apenas um quilómetro, tendo reafirmado que o processo de abate das árvores que representam perigo devido a apodrecimento, na sua maioria choupos e plátanos, "está em processo de reavaliação através de um pedido para o efeito a entidades com competência na matéria", como a Autoridade Florestal Nacional e Instituto de Conservação da Natureza, entre outros, notou."Nós queremos árvores mas também queremos segurança na estrada", frisou.O autarca disse ainda que solicitou informação sobre "quais as árvores que representavam perigo" e "um parecer sobre quais as espécies a plantar e onde o fazer".Aquele responsável disse que a autarquia quer fazer a posteriori uma replantação de novas árvores entre Almeirim e a Tapada, aguardando pelos pareceres técnicos para avançar com o processo.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo