Sociedade | 25-01-2013 12:52

Finanças valorizam habitações da Flamenga com base em equipamentos que não existem nem serão feitos

As Finanças basearam-se num projecto que nunca foi construído para valorizarem as casas dos moradores da Urbanização da Flamenga em Vialonga, Vila Franca de Xira, no âmbito da reavaliação dos imóveis para pagamento do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). O projecto inicial para o parque urbano na zona previa a construção de piscina e campos de ténis, mas este foi alterado desistindo-se da construção dos equipamentos. Muitos moradores dizem não perceber como é que as Finanças erraram no cálculo e têm sido feitas várias queixas àquele organismo, juntamente com vários pedidos de reavaliação. O valor patrimonial dos imóveis, recorde-se, é obtido através do somatório de vários rácios, como a acessibilidade, segurança, conforto ou localização. A esse valor incide a taxa de IMI aprovada pela Assembleia Municipal, que no caso de Vila Franca se situa nos 0,30 por cento para os prédios urbanos e os 0,61 por cento para os prédios urbanos não avaliados.António Rodrigues, 58 anos, residente na urbanização, deixou de estar isento de IMI no ano passado e vai pagar o imposto pela primeira vez, calculando que não deve ser menos de 400 euros "porque estão a fazer conta com uma coisa que não existe", desabafa. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo