Sociedade | 11-10-2013

Proprietário dá o exemplo de como cuidar das barreiras de Santarém

Quem chega a Santarém pela Estrada Nacional 114 vindo de sul através da ponte D. Luís dificilmente fica indiferente à intervenção paisagística que está a ser feita numa parcela de encosta à entrada da cidade, perto da monumental Fonte das Figueiras. A obra é da responsabilidade de um proprietário privado, que decidiu ordenar a barreira em socalcos onde irão ser plantadas árvores de fruto, flores, árvores rasteiras e até arbustos.Natural de Santarém, há alguns anos que Mário Gastão trocou o seu país pela Bélgica. Há cerca de um ano regressou de vez, com a esposa, à cidade que o viu nascer.Herdeiro de uma casa na Travessa da Calçada das Figueiras, onde reside actualmente, achou que poderia "juntar o útil ao agradável". Ou seja, aliar o seu gosto por plantas criando um jardim onde antes havia uma barreira cheia de silvas e, consequentemente, ajudar a embelezar a cidade. "O terreno era selvagem e não tinha interesse nenhum. Assim faço aqui um jardim para quando passar na estrada dizer: olha ali o meu jardim!" explica entusiasmado.A obra está em curso há quase um ano, sendo interrompida no período das chuvas. Mário já tem a maioria das escadinhas feitas, o que possibilita a circulação pela encosta, e já plantou exemplares de magnólia, mangueira, abacate, figueira e palmeira.* Reportagem completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Vale Tejo