Sociedade | 17-10-2013 00:18

Autoridades de Saúde vão investigar alegada praga de moscas em Ferreira do Zêzere

Uma alegada praga de moscas com origem em despejos ilegais de detritos de aves estará a assolar várias localidades do concelho de Ferreira do Zêzere e vai ser investigado pelas autoridades.Em declarações à agência Lusa, a autoridade de saúde e a Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere confirmaram a recepção de uma participação por parte de um habitante que aponta para as localidades de Paio Mendes, Frazoeira, Salão, Mata, Outeiro e Dornes como exemplos de lugares rurais que têm sido invadidos por "milhões de moscas" e que entram, inclusivamente, dentro das casas."Vamos enviar uma equipa para o terreno para aferir da veracidade da situação e, caso se confirme o número inusitado de moscas, vamos analisar as causas e actuar em conformidade, em parceria com as autoridades sanitárias e veterinárias da autarquia de Ferreira do Zêzere", disse à Lusa o delegado de saúde do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo e Zêzere, Rui Calado.O presidente da câmara municipal, por sua vez, disse à Lusa "estranhar" os locais mencionados para tal acontecimento, tendo descartado a possibilidade de depósitos ilegais de detritos de galináceos, muitas vezes utilizado como fertilizante de terras, referindo que, ali, "não existem pecuárias por perto".Jacinto Lopes disse ainda que "causas naturais" poderão estar na origem da alegada praga de moscas, tendo indicado as "diferenças de temperaturas e as humidades relativas"."Em parceria com o ACES do Médio Tejo e Zêzere vamos monitorizar e apurar as causas dessa alegada situação, sendo certo que, a verificar-se, tomaremos as medidas que se entenderem apropriadas", vincou.Em declarações à Lusa, o autor da participação disse que "a praga é provocada por despejos ilegais de detritos de aves" de alguns dos muitos aviários existentes no concelho, tendo afirmado ter recebido várias participações de populares e familiares ali residentes."A população que sente directamente este incómodo é muito idosa, vive em meio rural e com algum isolamento, por vezes também depende desta indústria e receia falar desta situação ou causar alaridos", disse Francisco Pessegueiro."O que eu gostaria é que este caso fosse averiguado pelos competentes serviços de saúde pública e se tomassem as devidas providências, para que de futuro não voltasse a repetir-se", notou.O município de Ferreira do Zêzere é conhecido como a capital do ovo pela forte indústria de produção de aves e ovos.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1376
    07-11-2018
    Capa Vale Tejo