Sociedade | 21-10-2013 00:20

Moradores de Alhandra não querem ilha ecológica à porta de casa

Apesar da comodidade de terem os contentores de resíduos perto e não precisarem de se deslocarem, os moradores de um prédio na avenida Sousa Martins, em Alhandra, não querem a ilha ecológica à porta de casa.Considerando que esta está demasiado perto da entrada, a cerca de metro e meio. Queixam-se que têm pouco espaço para entrarem em casa e dos maus cheiros frequentes que emanam dos contentores. Criticam também o facto de não terem sido consultados no processo de instalação daquele equipamento. Os residentes dizem não compreender por que motivo os ecopontos não foram colocados noutros locais da avenida, mais espaçosos e onde, por exemplo, existem edifícios desabitados há décadas. As queixas já seguiram para a junta de freguesia e para a Câmara de Vila Franca de Xira. Francisco Vale Antunes, presidente dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento (SMAS), admite que a situação é invulgar. "Há nove edifícios fechados nesta rua mas infelizmente aquele era o único espaço em que o subsolo tinha área suficiente para acolher os ecopontos", explica. Recorde-se que as ilhas ecológicas são contentores enterrados. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1360
    19-07-2018
    Capa Vale Tejo