Sociedade | 24-10-2013 03:20

Auditoria da Inspecção Geral de Finanças à Câmara da Chamusca aponta para gestão desequilibrada

A última reunião do mandato 2009-2013 da Câmara da Chamusca ficou marcado pela apresentação e discussão de um relatório da auditoria feita pela Inspecção Geral de Finanças (IGF) à Câmara da Chamusca. O presidente cessante, Sérgio Carrinho (CDU), garantiu que, apesar de sair do executivo, manter-se-á disponível para assumir a responsabilidade sobre qualquer situação que seja considerada ilegal.O projecto de relatório resultante da auditoria efectuada pela IGF aponta sobretudo para uma gestão desequilibrada da autarquia. Não consubstancia casos de extrema gravidade, mas para a necessidade de correcção de alguns procedimentos. O empolamento dos orçamentos para níveis muito acima do que seria expectável e o uso de algumas verbas para pagamentos diferentes daqueles para que estavam previstas são apontados como irregularidades.A auditoria mostra também que apesar dos desequilíbrios evidenciados registou-se igualmente uma forte descida da dívida da autarquia, que passou de cerca de 14 milhões de euros em Dezembro de 2009 para seis milhões e 500 mil euros em Setembro de 2013.No contraditório enviado à Inspecção Geral de Finanças, o presidente cessante Sérgio Carrinho e os seus pares reconhecem em termos gerais que estão de acordo com as conclusões do relatório e garantem a disposição em aproximar-se gradualmente das regras estabelecidas.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1377
    15-11-2018
    Capa Médio Tejo