Sociedade | 05-11-2013 12:43

Para se ter cães em casa sem condições mais vale estes andarem na rua

Os cães não devem ser uma extensão dos desejos dos donos e uma forma de se mostrar o status social ou o poder económico. Levar os animais ao cabeleireiro, trata-los como se fossem pessoas, não significa que seja o melhor para o animal. A opinião é da veterinária municipal de Benavente, Vanda Lobato, que é também responsável pelo canil municipal. Para um cão ser bem tratado e feliz "não é preciso dar-lhe a melhor ração. É preciso é que ele compreenda o dono", explica a veterinária, acrescentando que já foi mais "chique" ter um cão. Vanda Lobato, que considera a relação entre humano e animal a mais pura que existe, é contra os extremismos no tratamento dos animais. "Os concursos de beleza caninos são tal e qual como a moda. É um mundo muito artificial que certas pessoas usam para mostrar o seu poder económico", aponta. Confrontada com o facto de haver pessoas que têm dezenas de animais em apartamentos ou vivendas, Vanda afirma que se as pessoas não têm condições para os ter mais vale estarem abandonados. A veterinária lembra o caso de um homem que vivia numa casa com 50 cães. "Foi difícil convencê-lo que não podia ter aqueles animais todos ali mas com o tempo foi dando grande parte deles a amigos e conhecidos", conta.A veterinária considera que as pessoas têm-se desligado do prazer e da partilha que é possível estabelecer com um animal de quatro patas. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo