Sociedade | 08-11-2013 11:53

Greve afecta serviços públicos da região

Social, Repartição de Finanças, escolas, serviços da câmara e demais serviços públicos. Alguns encontram-se encerrados, outros estão a funcionar a meio-gás.Há escolas fechadas um pouco por todo o distrito. Em Santarém a sede do Agrupamento da Escola Sá da Bandeira está encerrada, o Centro Escolar Salgueiro Maia, a Escola Básica Nº1 de S. Bento e a Escola 2,3 de Mem Ramires são algumas das escolas encerradas. Em Almeirim o jardim de infância do Centro Escolar Charcos, Escola Básica Moinho Vento e Jardim de Infância da Zona Norte, estão fechadas. Em Abrantes entre as escolas secundárias e básicas existentes estão as cinco encerradas. No Cartaxo a Escola básica 2,3 Marcelino Mesquita e a Escola Básica 2,3 José Tagarro, no Cartaxo, a Sede do Agrupamento Afonso Henriques, que abrange Pernes e Alcanede, está também fechada. O Tribunal de Santarém está a funcionar com os serviços mínimos apenas atendendo casos urgentes. No Tribunal de Vila Franca de Xira, dos 72 trabalhadores apenas 24 funcionários estão a trabalhar, assegurando os serviços mínimos. Dos 48 que não estão no emprego, dez estão a faltar por atestado ou por outro motivo.Na Câmara Municipal de Rio Maior a tesouraria está fechada. Na Câmara Municipal de Vila Franca de Xira a adesão é superior a 60 por cento. A tesouraria está encerrada e as delegações da câmara na Póvoa de Santa Iria e Alverca do Ribatejo também estão encerradas. Também estão encerrados o edifício do Departamento de Administração Geral, Departamento de Administração Financeira, Departamento de Qualidade Ambiental e Sustentabilidade, Departamento de Cultura, Turismo, e Actividades Económicas. No entanto, o facto de estarem encerrados não significa que a adesão seja total.Na Divisão de Informação Municipal e Relações Públicas, dos 20 trabalhadores estão apenas sete a trabalhar.Na Repartição de Finanças de Vila Franca de Xira a greve é parcial com o atendimento a ser feito apenas para as vertentes de Justiça Tributária/ Contencioso, Património e Cobrança. Em Santarém as finanças também estão a meio-gás, só com alguns serviços a funcionar.Entre as câmaras municipais com maior adesão destaque para a Câmara Municipal de Almeirim, Benavente e Alpiarça com cerca de 70 por cento de adesão. Uma das adesões mais baixas, cerca de 10%, verifica-se na Câmara de Mação, onde neste momento encontram-se 10 funcionários de férias.Na empresa municipal Águas de Santarém a greve ronda os 85 por cento.No que respeita aos serviços de saúde, os enfermeiros do Hospital Distrital de Santarém aderiram em massa, com uma adesão de cerca de 84%, estando a ser mantidos os serviços mínimos. Nos hospitais do Centro Hospitalar do Médio Tejo, Abrantes, Tomar e Torres Novas a adesão à greve por parte dos enfermeiros ronda os 65 %. Os efeitos da greve fazem-se sentir também em alguns centros de saúde da região.Nesta paralisação convocada pelos sindicatos da CGTP e da UGT estão em causa os protestos contra os cortes nos salários e pensões previstos para o próximo ano, bem como o aumento do horário de trabalho.De recordar que é o terceiro ano consecutivo que Novembro é palco de uma greve da função pública à qual nos últimos anos se juntaram também trabalhadores do sector privado.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo