Sociedade | 12-11-2013 13:41

Câmara de Tomar cobra cem euros a livraria pela utilização da biblioteca

O executivo camarário de Tomar, reunido a 11 de Novembro, decidiu cobrar cem euros à livraria e papelaria "Nova" pela utilização da biblioteca municipal para o lançamento de um livro ocorrido a 24 de Outubro, rejeitando o pedido de isenção de taxas previsto no regulamento desse equipamento. Os eleitos do PSD votaram contra a decisão. O vereador Hugo Cristóvão (PS) com o pelouro da Educação, que abrange os Serviços da Biblioteca, justificou decisão pelo facto de se tratar de uma entidade de carácter privado. A situação é inédita, pois apesar do regulamento actual prever que as entidades privadas não sejam isentadas de taxas, as iniciativas de carácter lúdico e cultural eram, por norma, a excepção à regra. O vereador independente Pedro Marques, apesar de ter votado a favor da não isenção, referiu que essa medida deve ter em conta o interesse público e o mérito da acção. Na mesma reunião, o executivo decidiu cobrar 47 euros de taxa de ocupação de via pública a uma empresa de óptica que fez um rastreio visual com uma unidade móvel nas ruas de Tomar, entre 7 a 11 de Outubro. Também neste caso, os vereadores do PSD votaram contra a rejeição do pedido de isenção de taxas solicitado pela empresa.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo