Sociedade | 13-11-2013 12:07

Tesoureiro do Raposense puxa de navalha em distúrbios no final do jogo com Benfica do Ribatejo

Um espectador ficou ferido numa mão com um corte de navalha em distúrbios que aconteceram no final do jogo Raposense – Benfica do Ribatejo, do Campeonato Distrital do Inatel de Santarém. Um dérbi concelhio que decorreu no dia 10 de Novembro, na Raposa, concelho de Almeirim e na qual a equipa da casa perdeu por 0-4. Segundo o presidente do clube da Raposa, António Nunes, tudo começou ainda durante o jogo, quando um jogador do Raposense, que está suspenso e assistia ao jogo na bancada, saltou a vedação para chegar até ao árbitro assistente para contestar uma decisão que, na sua opinião, prejudicava a equipa do Raposense. “O espectador foi impedido de chegar ao árbitro e retirado do terreno de jogo, pelos nossos seguranças”, explica.No final do jogo quando os árbitros se dirigiam para os balneários, o mesmo jogador voltou a entrar em campo para se dirigir ao árbitro. Nessa altura o tesoureiro do clube que fazia funções de segurança ao jogo, Ramiro Augusto, tentou impedi-lo e foi agredido com um murro. Ramiro Augusto, que foi candidato à Junta da Raposa pelo MICA, puxou de uma navalha para se defender e a situação ainda se complicou mais. Um jovem da localidade que tentou apaziguar a situação e retirar a navalha ao tesoureiro, acabou por se cortar na mão. Um outro espectador ao ver o jovem a sangrar foi buscar um machado a casa para entrar na confusão. “Só a chegada da GNR pôs termo aos distúrbios”, disse o presidente do clube.António Nunes confessa-se triste com a situação criada e crítica o segurança e tesoureiro do clube, “Não tinha o direito nem razão para puxar da navalha, criando assim uma situação que não dignifica o clube nem a Raposa”, conclui.Contactado por O MIRANTE, o INATEL diz ter conhecimento da situação por ter sido abordada no relatório do árbitro. No entanto considera que esta situação é um caso de polícia e não de disciplina desportiva. Uma vez que, apesar de ser dentro do campo, ocorreu após o fim do jogo e não envolveu nem a equipa de arbitragem nem os jogadores que alinharam na partida. O INATEL refere ainda que o árbitro no seu relatório elogiou o comportamento dos dirigentes dos dois clubes durante o jogo.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1368
    12-09-2018
    Capa Médio Tejo