Sociedade | 14-11-2013 00:01

Caso dos menores que querem fumar à porta da escola está na Comissão de Protecção de Crianças e Jovens

O caso dos quatro alunos da Escola EB 2/3 de Porto Alto que fizeram um abaixo-assinado para poderem fumar à porta da escola foi encaminhado para a Comissão de Protecção de Crianças e Jovens, que vai abrir um processo. O director do Agrupamento de Escolas de Samora Correia, Carlos Amaro, confirma a situação e diz que vai reunir com os pais dos estudantes, que têm 14 e 15 anos, sensibilizando-os para a necessidade de falarem com os filhos e demovê-los de comportamentos prejudiciais para a saúde. Segundo o director, alguns dos alunos fumam com o consentimento dos pais. A venda de tabaco está proibida a menores de 18 anos. No agrupamento de Samora já foram apanhados este ano três alunos a fumar no recinto escolar e cada um apanhou uma suspensão de um dia. O abaixo-assinado foi espoletado com a implementação de um sistema de cartões que faz um controlo de entradas e saídas das escolas e em que não é permitida a saída dentro do horário escolar.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo