Sociedade | 20-11-2013 00:12

Dívida global da Câmara do Cartaxo ultrapassou os 63 milhões de euros

A situação financeira em 31 de Outubro de 2013 indicava que a autarquia tinha uma dívida de curto prazo a terceiros - entre fornecedores, Estado, banca e outros credores - no valor de 27,954 milhões de euros, a que se soma uma dívida de médio e longo prazo, a instituições de crédito, de 20,602 milhões. A esses montantes acresce a dívida da Rumo 2020 (no valor de 5,363 milhões de euros) e outras dívidas referentes a facturas em trânsito e despesas por cabimentar e juros a liquidar. O que, tudo somado, dá os 63 milhões e 192 mil euros.O presidente da câmara, Pedro Magalhães Ribeiro (PS), diz que o Cartaxo está entre os municípios mais endividados per capita, considerando que a situação é muito grave mas “não é única no país” e que cabe ao executivo procurar caminhos que levem a “soluções o mais sustentáveis possível, a favor do concelho e de quem aqui vive, investe e trabalha”. Mas uma coisa parece certa: dadas a escassez de receitas com que o município se debate e o peso da dívida “os próximos tempos serão muito exigentes quer em trabalho, quer em responsabilidade e rigor”, diz o autarca.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1356
    20-06-2018
    Capa Médio Tejo