Sociedade | 03-12-2013 00:21

Devolução da Casa do Campino à Câmara de Santarém presa por dívida antiga

A Câmara de Santarém quer recuperar a posse plena da Casa do Campino, imóvel emblemático onde se realiza o Festival Nacional de Gastronomia, mas a Entidade de Turismo de Lisboa (ETL) está a exigir o pagamento de uma verba de cerca de 150 mil euros para abdicar do direito de superfície que detém enquanto sucessora das extintas Região de Turismo do Ribatejo e Entidade de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo, que ali tiveram a sua sede. Segundo informou o presidente da Câmara de Santarém, Ricardo Gonçalves (PSD), na última reunião do executivo, para ceder o direito de superfície sobre a Casa do Campino, a Entidade de Turismo de Lisboa reclama o cumprimento de uma deliberação do ano 2000 em que a autarquia se comprometeu a dar um subsídio de 30 mil contos (cerca de 150 mil euros) à então Região de Turismo do Ribatejo para esta fazer face a compromissos bancários. Com a extinção recente da Entidade de Turismo de Lisboa e Vale do Tejo (sucessora da Região de Turismo do Ribatejo) - e a consequente passagem dos concelhos do distrito de Santarém para as entidades de turismo do Centro e do Alentejo –, o direito de superfície da Casa do Campino transitou para a Entidade de Turismo de Lisboa, que só abrange a zona da capital e, logicamente, não precisa de ter instalações em Santarém.Mas, pelos vistos, essa entidade não abre mão de direitos que considera adquiridos por herança das suas antecessoras, como é o caso da verba constante dessa deliberação camarária já com 13 anos.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo