Sociedade | 04-12-2013 00:03

Paulo Fonseca justifica-se com Santuário de Fátima dizendo que declarações foram deturpadas

Paulo Fonseca justifica-se com Santuário de Fátima dizendo que declarações foram deturpadas
O presidente da Câmara de Ourém, Paulo Fonseca (PS), disse ontem na reunião do executivo que não lê jornais. No entanto, Fonseca sentiu necessidade de se justificar relativamente à notícia que fez manchete na última edição de O MIRANTE onde demos conta das suas afirmações sobre o facto do Santuário de Fátima possuir um património de cerca de 350 milhões de euros e desses imóveis estarem livres de impostos. Fonseca justificou-se dizendo que ligou ao reitor do Santuário a dizer que as suas declarações tinham sido deturpadas.Paulo Fonseca esclareceu que apenas se limitou a constatar um facto (da igreja não pagar impostos) e que esta não é uma situação nova uma vez que foi uma decisão entre Governo e igreja na famosa Concordata assinada em 1940. Como não desmentiu nada que tenhamos escrito O MIRANTE relembra o que Paulo Fonseca disse na última assembleia municipal, realizada a 18 de Novembro; "considero uma tremenda injustiça o facto dos imóveis da igreja estarem livres de impostos"O autarca disse ainda que “esta anomalia fiscal que existe no concelho de Ourém não se verifica em mais nenhum concelho do país. É necessário que o Estado, que gere este assunto, desenhe e construa critérios de justiça para o concelho de Ourém”. O assunto veio à baila pelo próprio durante a discussão do ponto da ordem de trabalhos sobre a aprovação do IMI.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo