Sociedade | 04-12-2013 12:02

Receita de Solidariedade na Academia do Bacalhau do Ribatejo

Cerca de trinta "compadres" da Academia do Bacalhau do Ribatejo, uma associação cívica sem fins lucrativos formada recentemente, estiveram reunidos à mesa no restaurante "Sabores da Cascata" em Abrantes. Tal como no primeiro encontro, realizado em Julho em Torres Novas, o objectivo passou por, num ambiente de tertúlia, angariar fundos para uma instituição de cariz social, que é sempre escolhida pelo compadre-anfitrião. A primeira Academia do Bacalhau foi criada há mais de 40 anos em Johanesburgo, com emigrantes portugueses, radicados na África do Sul. Actualmente, são mais de cinquenta academias, espalhadas por todo o mundo. Em Portugal já existem algumas, sendo a do Ribatejo a mais recente. A Academia do Bacalhau do Ribatejo com sede em Torres Novas é actualmente liderada pelo Solicitador Pedroso Leal e "proíbe" que se fale de política, religião e futebol enquanto se degusta, invariavelmente, um prato de bacalhau. A recolha de fundos é normalmente feita entre a sobremesa e o café, ocasião em que se sorteia um electrodoméstico entre os presentes. Neste caso, foi sorteada uma máquina de café, custando cada rifa cinco euros. O prémio calhou à esposa do conhecido empresário torrejano Fialho Ferro, com os fundos a reverterem para a Santa Casa da Misericórdia de Abrantes, uma escolha de Eurico Heitor Consciência, anfitrião do jantar. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo