Sociedade | 07-12-2013 00:00

População de Alpiarça une-se para tirar mulher da prisão

Sensibilizado com a história da mulher que foi presa por não ter pago multa de 900 euros ao Tribunal, o Agrupamento de Escolas José Relvas de Alpiarça fez um peditório ao qual toda a população do concelho aderiu em massa. Em menos de 24 horas conseguiu a verba necessária para libertar a senhora e continua a receber mais dinheiro para ajudar esta família que actualmente passa por uma fase de necessidades económicas.A directora do Agrupamento de Escolas, Isabel Coelho, teve conhecimento da situação na terça-feira, 3 de Dezembro, através de um telefonema onde uma pessoa denunciou a situação explicando que os dois filhos, gémeos, da detida estavam sozinhos em casa depois da mãe ter sido presa, no dia 28 de Novembro (quinta-feira). Isabel Coelho foi falar com um dos irmãos que frequenta aquela escola – o outro estava em casa doente – que confirmou a situação. “Não consegui ficar indiferente a este drama social e humano e falamos com a comunidade escolar e com pais que foi de uma enorme sensibilidade e generosidade. Em menos de 24 horas conseguimos o dinheiro necessário”, explica a O MIRANTE.A senhora, que ia cumprir uma pena de prisão de 100 dias por não ter pago cerca de 900 euros em custas judiciais de um processo em que foi condenada, já se encontra em casa.* Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo