Sociedade | 09-12-2013 00:12

Praga nas palmeiras de Vila Franca e Benavente obriga câmaras a gastar milhares de euros

Ao ritmo a que a praga se está a desenvolver, Vila Franca de Xira e Benavente arriscam-se a perderem grande parte das palmeiras que estão no espaço público. O escravelho vermelho, que já atacou no Algarve e na área da grande Lisboa, está a afectar sobretudo os municípios do Vale do Tejo que se situam mais a sul. Ao todo os dois municípios já identificaram 132 palmeiras doentes que o mais certo é terem que ser abatidas. Vila Franca tem o maior número, 80. Mais a norte do distrito de Santarém a praga ainda não se fez sentir e Golegã, Torres Novas e Abrantes garantem que para já não há casos identificados. Atendendo a que o escaravelho pode fazer voos contínuos de cinco quilómetros não é de admirar que daqui a uns dias a doença apareça nestas zonas. Até porque já chegou a Almeirim onde já foram abatidas duas árvores e na Chamusca já há alguns casos suspeitos que estão a ser analisados pelo município, depois de terem sido também cortadas duas árvores. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo