Sociedade | 12-12-2013 12:38

Ministério Público pede condenação do ex-vereador por se apropriar da lenha da Câmara de Almeirim

Ministério Público pede condenação do ex-vereador por se apropriar da lenha da Câmara de Almeirim
O Ministério Público pediu esta quarta-feira a condenação do ex-vereador socialista da Câmara de Almeirim, José Carlos Silva, pelo crime de peculato ao abrigo da legislação para os titulares de cargos políticos. Para o Ministério Público ficou comprovado que o arguido enquanto vereador ordenou que funcionários da autarquia transportassem lenha do município para sua casa, durante o horário de trabalho e com recurso a viatura municipal. Na primeira e única audiência do julgamento no Tribunal de Almeirim, o procurador do Ministério Público, António Artilheiro, salientou que não está em causa o valor da lenha, 59 euros, mas sim o comportamento grave de quem foi eleito e exercia um cargo ao serviço do povo. “Quem paga o desgaste dos pneus, o combustível, o motor do dumper que levou a lenha? É a câmara”, salientou. Artilheiro considerou também grave a posição do então presidente do município, Sousa Gomes, considerando que este foi conivente com a situação. O procurador justificou que uma condenação do arguido será também entendida como uma acção pedagógica junto do prevaricador e de aviso aos titulares de cargos públicos e políticos. A defesa de José Carlos Silva diz que nada foi provado em relação a um crime de peculato pelo arguido e que o único facto censurável é a relação de parentesco com o seu cunhado. O caso passou-se em 11 de Março de 2009 quando José Carlos Silva era vereador do executivo socialista presidido por Sousa Gomes, tendo o ex-vereador garantido ao longo do processo que a lenha se destinava ao seu cunhado.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1381
    13-12-2018
    Capa Vale Tejo