Sociedade | 19-12-2013 01:30

Vinte e nove professores da Escola de Gestão de Santarém sujeitos a ter de devolver 765 mil euros

Vinte e nove professores em regime de exclusividade da Escola Superior de Gestão e Tecnologia de Santarém (ESGTS) - entre eles o ex-director Jorge Faria, agora presidente da Câmara do Entroncamento - podem ter de devolver um montante global de 765.914 euros à sua entidade patronal, por terem sido indevidamente remunerados por trabalho docente suplementar em pós-graduações e mestrados e cujo pagamento foi justificado na contabilidade como colaboração técnica especializada.Para a Inspecção Geral da Educação e Ciência, que averiguou o caso na sequência de denúncias anónimas, o pagamento desse trabalho extraordinário não podia ser processado nesses moldes pois as funções desempenhadas pelos professores em causa fazem parte integrante das actividades inerentes à carreira docente. Como tal, não podiam ser classificadas como colaboração técnica especializada. NOTÍCIA DESENVOLVIDA NA EDIÇÃO SEMANAL DESTA QUINTA-FEIRA

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1372
    10-10-2018
    Capa Médio Tejo