Sociedade | 20-12-2013 07:23

Câmara da Chamusca paga 2.500 euros mensais por prédio fechado há 6 anos

A Câmara Municipal da Chamusca está obrigada pelo tribunal a pagar 2500 euros por mês aos herdeiros da família Cid Guimarães como renda da casa situada na Rua Direita de São Pedro, na Chamusca, que está desocupada há mais de meia dúzia de anos. Segundo o presidente da câmara, o caso resulta do incumprimento de um contrato de comodato, estabelecido em 1999, entre a autarquia e o então proprietário da habitação, Agnelo Cid. “Na altura, o executivo liderado por Sérgio Carrinho entendeu estabelecer o contrato, para utilizar a casa para instalar alguns pólos de formação e outros serviços, que infelizmente duraram pouco tempo”, disse.Entretanto, o proprietário que assinou o contrato com a autarquia faleceu e quando, em 2007, com o contrato já caducado, os herdeiros quiseram reaver o imóvel, encontraram a casa ainda mais degradada. Colocaram então uma acção em tribunal e a Câmara da Chamusca foi condenada a fazer as obras de recuperação da moradia. “Enquanto não as fizesse ficaria obrigada a pagar mensalmente 2500 euros de renda. É isso que está a acontecer desde 2007”, disse Paulo Queimado.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo