Sociedade | 27-12-2013 07:25

Presidente não assume dívida da antiga freguesia de Forte da Casa anexada à da Póvoa

O presidente da junta que resultou da fusão das freguesias de Póvoa de Santa Iria e de Forte da Casa não assume uma dívida deixada por esta última. Em causa estão cerca de 200 mil euros deixados pelo ex-presidente do Forte da Casa no momento nas eleições quando entrou em vigor a reforma administrativa. Jorge Ribeiro decidiu que, não vai incluir o valor da dívida no orçamento para 2014 da união de freguesias que dirige e já comunicou a situação a várias entidades.Jorge Ribeiro enviou uma exposição com pedido de parecer para o Tribunal de Contas, Inspecção Geral da Finanças, Ministério Público e Direcção Geral das Autarquias Locais. Contactado por O MIRANTE, o ex-presidente da Junta de Freguesia de Forte da Casa, o socialista António José Inácio, disse que a dívida era relativa a serviços prestados na manutenção de zonas verdes da freguesia. “Tanto António José Inácio como Jorge Ribeiro salientaram que a dívida já era conhecida dos eleitos da assembleia de freguesia do Forte da Casa. A situação está a gerar controvérsia e o eleito da CDU na união de freguesias, António Pereira, é contra o facto de se ocultar a dívida no orçamento. “O documento apresentado não vai reflectir a situação real da autarquia e nem devia ser discutido”, referiu o comunista na última assembleia de freguesia. O presidente da união de freguesias de Póvoa de Santa Iria e de Forte da Casa, sublinha que não podia assumir uma dívida sem ter a certeza que o procedimento tem cobertura legal.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1380
    05-12-2018
    Capa Médio Tejo