Sociedade | 23-07-2015 13:56

Rádio de Samora Correia comprada por chinês pode estar a caminho de Lisboa

A maioria do capital social da Rádio Íris, única emissora local dos concelhos de Vila Franca de Xira, Benavente e Azambuja que produz informação regular, foi comprada por um chinês, Liang Zhang, e pode estar de malas aviadas para novos estúdios em Lisboa.O facto de toda a equipa da Íris ter estado, recentemente em Lisboa, na inauguração dos novos estúdios de média de um grupo ao qual está ligado o novo dono rádio de Samora Correia, fez correr alguma especulação e preocupação nas redes sociais. Para já os estúdios da rádio em Samora Correia continuam em funcionamento e O MIRANTE sabe que assim vão continuar durante mais algum tempo. Mas nada impede que alguns conteúdos luso-chineses possam vir a ser produzidos em Lisboa para depois serem emitidos em Samora Correia. Esse facto ainda não está confirmado. O director-geral da emissora, contactado pelo nosso jornal, recusou tecer comentários sobre o assunto.No último mês, recorde-se, foram inaugurados em Lisboa novos estúdios do grupo Iberia Universal, onde está inserido o empresário chinês que adquiriu, há dois anos, a maioria do capital da Íris. Recorde-se que o Porto Alto, em Samora Correia, é um local com uma grande comunidade chinesa e onde estão a ser investidos perto de 20 milhões de euros num mega-espaço comercial. Muitos ouvintes da terra lamentaram o rumor do fecho da emissora samorense. A Íris sempre foi vista pela população como uma "filha da terra" e uma alternativa complementar a O MIRANTE no que toca à oferta de informação local e regional, oferecendo o que os jornais impressos nunca poderão dar: som. É também a única a ter três jornalistas a tempo inteiro na redacção. * Notícia completa na edição semanal de O MIRANTE.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1355
    13-06-2018
    Capa Médio Tejo