Sociedade | 24-08-2015 13:42

Festival de Folclore Celestino Graça deixa o CNEMA e regressa às origens

O Festival Internacional de Folclore Celestino Graça, que decorre anualmente em Santarém no início de Setembro, regressa ao Campo Infante da Câmara, no centro da cidade, após se ter realizado durante vários anos no Centro Nacional de Exposições e Mercados Agrícolas (CNEMA). Razões financeiras estão na origem desta mudança, segundo explicou a O MIRANTE Ludgero Mendes, responsável do Grupo Académico de Danças Ribatejanas, que organiza o programa. No CNEMA, o aluguer do grande auditório custava um pouco mais de três mil euros por edição e, num tempo em que os apoios escasseiam e os encargos não param de aumentar, houve que fazer opções, esclareceu Ludgero Mendes. Na 56ª edição do festival, para além de diversos grupos etnográficos de diversos pontos do país participam representações de Espanha, Estónia, Israel, Sérvia e Venezuela. O programa tem início no dia 2 de Setembro, pelas 14h30, com uma Gala Sénior, no Teatro Sá da Bandeira. No dia 3, às 10h00, tem lugar uma Gala Infantil, no Teatro Sá da Bandeira, e pelas 21h30 decorre o espectáculo de ante-estreia do festival, na Praça Marquês Sá da Bandeira (Largo do Seminário). Na sexta-feira, dia 4, pelas 18h00, tem lugar a tradicional homenagem a Celestino Graça e a cerimónia de inauguração do festival, junto ao busto erigido em memória do fundador do festival, no Campo Infante da Câmara. A partir das 18h30, o centro histórico recebe o desfile etnográfico, que tem início no Jardim da Liberdade e termina no Largo do Seminário.A habitual sessão solene de boas vindas na Câmara Municipal de Santarém está marcada para as 19h00 de sexta-feira, seguindo-se, pelas 22h00, uma Noite Ribatejana, na Casa do Campino, inserida na comemoração do 50º Aniversário da Construção da Casa do Campino, que conta com fado, folclore e música tradicional. No sábado, pelas 21h30, a Casa do Campino acolhe a Gala Internacional de Folclore "O Mundo a Dançar" e no domingo, 6 de Setembro, pelas 17h30, tem lugar o espectáculo de encerramento, no mesmo local. Todos os espectáculos têm entrada livre.Ludgero Mendes acredita que a realização de vários espectáculos na emblemática Casa do Campino pode constituir uma mais valia em termos de atracção de público, acrescentando que a passagem dos 50 anos sobre o início da construção desse edifício também pesou na mudança de localização do festival.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1369
    20-09-2018
    Edição Vale Tejo