Sociedade | 04-11-2015 18:53

Droga e prostituição junto à antiga sede da Turiprojecto em Alverca

Vários moradores da rua António Sérgio, no centro de Alverca, estão desgostosos com o que dizem ser o "mau ambiente" de droga e prostituição que tem existido em redor do edifício que serviu, em tempos, de sede da antiga Turiprojecto, que fechou em 2012 com dívidas de 126 milhões de euros.O espaço começa a dar sinais de degradação e tem uma parede vandalizada. Alguns vidros foram partidos. João Pernes e o vizinho, Rui, mostraram a O MIRANTE os locais onde alguns toxicodependentes se têm injectado durante a noite. As seringas no passeio provam a situação. "O que aqui se passa é um caso de saúde pública. Não é perigoso apenas para nós que moramos aqui e temos os nossos filhos a passar nesta zona para apanharem o autocarro, mas também para as pessoas que vêm às piscinas municipais", lamenta João Pernes.Os moradores dizem que o facto do edifício ficar pouco iluminado durante a noite e ter alguns recantos facilita a prática de actividades menos recomendáveis. "Já vi mulheres aqui ao ataque e depois a levarem os clientes para o jardim Álvaro Vidal, que fica aqui à frente. Alguém devia fazer aqui alguma coisa", conta Rui Dias a O MIRANTE. Segundo os residentes, a polícia já foi chamada várias vezes ao local, sobretudo por causa do barulho durante a noite, mas quando esta aparece já os desordeiros e os toxicodependentes abandonaram o local. Por vezes partem garrafas de cerveja na zona e o lixo fica por limpar durante semanas a fio. "A junta nem liga nada a isto. Os jardins junto ao edifício estão todos porcos. Alguém devia ser obrigado a controlar o que aqui se passa", lamenta outro morador. A sede da antiga Turiprojecto _ cujas letras ainda estão na fachada do edifício _ esteve em leilão o ano passado por um milhão e 325 mil euros mas não houve comprador. O processo de insolvência da firma do empresário José António Carmo foi apresentado no Tribunal do Comércio de Lisboa a 11 de Novembro de 2012. Tal como O MIRANTE já noticiara, o edifício é constituído por uma cave com 28 lugares de estacionamento, um rés-do-chão onde funcionava a recepção e cinco escritórios, três casas de banho, cozinha e sala de refeições. No primeiro andar existem dez escritórios, duas casas de banho, dois arrumos, um arquivo e sala de cópias. No segundo andar estão onze escritórios, três casas de banho, um arrumo, arquivo, biblioteca e copa.A Turiprojecto, fundada em Março de 1990, chegou a ser uma das maiores empresas do concelho na elaboração de estudos e projectos, tendo concretizado até ao primeiro semestre de 2011 mais de mil projectos e alcançado a marca de 2 milhões de metros quadrados de área construída, em segmentos como o retalho, serviços, logística, indústria e infra-estruturas. Teve o estatuto de PME líder e, entre outros projectos, foi responsável pela plataforma logística das Carnes Nobre em Rio Maior, centro de distribuição da Logislink no Funchal (Madeira) e do centro de logística da Sonae em Azambuja, um dos maiores centros logísticos da Península Ibérica, inaugurado em 2010 nos terrenos da antiga Opel.* Notícia completa na edição semanal de O Mirante

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1373
    17-10-2018
    Capa Médio Tejo