Sociedade | 05-11-2015 19:21

Trabalhadores da Unicer protestam contra fecho de fábrica em Santarém

Os trabalhadores da Unicer, com o apoio do Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal, colocaram faixas de protesto em Santarém que fixaram junto à fábrica da Unicer e à fábrica da Drinkin, onde supostamente vai ficar localizada a produção da fábrica de refrigerantes Rical que a administração da Unicer pretende encerrar no próximo ano.“Face à recusa da administração da Unicer em dar resposta à moção aprovada em plenário contra o encerramento da unidade de produção em Santarém e o consequente despedimento de 70 trabalhadores, a que acresce o despedimento de mais 70 trabalhadores em Leça do Balio, os trabalhadores da fábrica em Santarém deram inicio à luta pelos seus postos de trabalho”, lê-se em comunicado emitido pela União de Sindicatos de Santarém.Esta primeira acção de luta pretende “alertar a população do concelho de Santarém, para a injustiça de uma empresa que se afirma detentora de responsabilidade social e que no último ano propagandeou resultados de 40 milhões, pretender encerrar uma fábrica por uma questão de opção empresarial”.Os trabalhadores e sindicato pretendem também “alertar para o facto da Unicer ter recebido fundos do Estado Português, pagos com os impostos dos contribuintes, para agora voltar a repetir o 'filme de terror' que realizou em 2013 com o encerramento da fábrica da Super Bock em Santarém”.Com as faixas visam “dar um sinal à administração da Unicer que todas as acções têm consequências e devem estar preparados para as consequências que venham a decorrer do processo de encerramento da fábrica em Santarém”. Para esta quinta-feira, 5 de Novembro, está marcado um novo plenário de trabalhadores, onde serão decididas novas formas de luta.

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo