Sociedade | 07-11-2015 01:20

Orçamento gera discussão crispada na Câmara de Vila Franca de Xira

Famílias com filhos vão pagar até menos 15% de IMI em Vila Franca de Xira.

A aprovação do orçamento e das novas taxas de IMI (Imposto Municipal sobre Imóveis) em Vila Franca de Xira ficou marcada por uma discussão crispada e pouco elevada em reunião de câmara. A confusão começou cedo depois de Rui Rei, da Coligação Novo Rumo (PSD/MPT/PPM) se ter exaltado e feito um gesto polémico para os vereadores da CDU, cruzando os braços como o "zé povinho" de Bordalo Pinheiro, mas sem levantar o dedo do meio.Entre os apupos de falta de respeito vindos da CDU, a discussão acentuou-se quando, na votação da proposta do IMI, o comunista Nuno Libório exigiu que o ponto fosse dividido em duas partes: votação da taxa de IMI na generalidade e votação do IMI familiar, ponto em que a CDU estava contra. O presidente da câmara, Alberto Mesquita (PS), não permitiu que a votação decorresse em separado e a CDU recusou-se a votar. Foi nessa altura que Rui Rei acusou os vereadores da CDU de terem atitudes anti-democráticas e demagógicas.Nuno Libório e os restantes vereadores da CDU reagiram no dia seguinte, em conferência de imprensa, criticando os crescentes ataques por parte de Rui Rei e pedindo ao presidente da câmara que comece a ter pulso firme na moderação das intervenções. Nuno Libório acusa o PS de falta de postura, ânsia de poder, prepotência e cultura do "quero, posso e mando". Lamentaram o "lavar de roupa suja e achincalhamento" de que têm sido alvo por parte do social-democrata Rui Rei e o comunista Aurélio Marques disse mesmo ter ficado "desgostoso, desiludido, magoado e desencantado" com o que se passou na reunião.* Notícia desenvolvida na edição semanal de O MIRANTE

Mais Notícias

    A carregar...

    Edição Semanal

    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Médio Tejo
    Edição nº 1363
    08-08-2018
    Capa Vale Tejo